Para utilizar este site corretamente é necessário habilitar o javascript do navegador.

Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística
Combustíveis

Combustível: Instabilidade que preocupa

Tue, 28 de November de 2017
Fonte: SETCESP
É fato que o combustível é fundamental para o transporte rodoviário de carga e que influencia diretamente no valor do frete das transportadoras e, sendo assim, é um dos principais responsáveis pelos altos custos e difícil controle da gestão de frota.
 
Só nos últimos 5 anos, entre agosto de 2013 a agosto de 2017, o preço do litro do óleo diesel comum, ainda muito consumido pela frota brasileira, acumulou um aumento de 31% segundo dados da cidade de São Paulo divulgados pela ANP – Agência Nacional do Petróleo.
 
No dia 30 de junho a Petrobras, que praticamente detém o monopólio do refino de petróleo brasileiro, anunciou uma revisão na política de preços da gasolina e do diesel com o objetivo de buscar maior aderência dos preços do mercado doméstico, ao mercado internacional e também a melhora da sua competitividade.
 
Em função desta decisão, o diesel atingiu o menor nível de preço do ano no mês de julho com queda de 8,79%, porém em três meses e meio após essa revisão, o aumento do diesel atingiu 15,01% e, considerando todo o ano o aumento, apesar da queda que tinha ocorrido no primeiro semestre, já subiu 5,71% frente ao valor de janeiro. E, dificultando ainda mais esse cenário, os reajustes passaram a ser quase que diários o que prejudica diretamente as negociações de mercado.
 
Diante deste contexto, a NTC&Logística, como associação nacional representativa do transporte rodoviário de cargas, está cobrando um posicionamento dos órgãos responsáveis para garantir que esse insumo tão importante para o TRC entre em estabilidade de preço no mercado.
 
O SETCESP, por sua vez, vem acompanhando esse cenário e auxiliando no que é possível para garantir que seus associados possam contar com esse equilíbrio o mais rápido possível e recomenda que as empresas de transporte observem a movimentação de preços desse insumo para assim tentar minimizar os impactos que podem ser gerados nos custos de suas operações. Além disso, a consultoria econômica da entidade está à disposição para passar as orientações técnicas necessárias aos associados.