Para utilizar este site corretamente é necessário habilitar o javascript do navegador.

Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística
Combustível

Iveco revela estudo que propõe substituir diesel por GNV em caminhões

Mon, 19 de February de 2018
Fonte: Notícias Automotivas
Um estudo realizado pela Iveco junto com os transportadores de carga da Europa e especialistas em logística do setor apontou para o GNV (Gás Natural Veicular) como substituto para o diesel. A pesquisa revelou que o gás natural é não só viável para o setor, mas é a única saída imediata para contornar a pressão ambiental no continente europeu, que está tornando cada vez mais caro e difícil o desenvolvimento de veículos comerciais limpos.
 
Diferentemente de outros fabricantes de caminhões da Europa e EUA, que estão apostando em caminhões elétricos, a Iveco vê no gás natural a saída para substituir o diesel, pois o combustível já conta com boa infraestrutura de distribuição e abastecimento na região, assim como preços reduzidos, o que ajuda a manter os custos com frete em um patamar aceitável. Segundo o fabricante, atualmente os caminhões movidos por GNV possuem desempenho e autonomia suficientes para atuar no mercado de transporte de cargas.
 
A gama do fabricante italiano conta hoje com vans e caminhões com potências entre 130 cv e 400 cv movidos por GNV. A capacidade de carga varia de 3,5 toneladas até 40 toneladas, tudo isso dividido em três famílias de motores. Em termos de autonomia, hoje existem motores de 460 cv com alcance de 1.000 km, mas o ideal é dispor de pelo menos 1.500 km. Essa faixa já seria atendida pelo Stralis NP, que tem a mesma potência e o alcance maior proposto acima. Ele utiliza dois tanques de 400 quilos de gás cada um.
 
Numa comparação com o diesel, segundo a Iveco, o Stralis NP emite 10% menos de CO2 e 50% menos de NOx, o grande vilão das emissões de poluentes desse combustível. A resposta do setor ao gás natural já pode ser sentida nas vendas. A marca vendeu 20 mil unidades em 2017, mas de forma global.
 
O grupo HAM, principal distribuidor de gás natural na Espanha, diz que o gás natural não é apenas uma opção, mas a opção real para trocar o diesel. A empresa aponta que os veículos elétricos atendem bem os carros leves, mas não cumprem as exigências quanto ao transporte rodoviário de cargas.
 
A Iveco diz que caminhões híbridos com GNV são uma alternativa viável, pois o motor elétrico ajuda a reduzir o esforço do motor e ao mesmo tempo recebe energia de frenagens e reduções. Com isso, emissão de CO2 e NOx são reduzidas de forma considerável. Apesar disso, a Tesla já contabiliza 2 mil pedidos de seu Tesla Semi, enquanto Scania e Volvo apostam também em estradas eletrificadas, com caminhões híbridos diesel usam eletricidade de rede aérea durante condução nessa via.