Para utilizar este site corretamente é necessário habilitar o javascript do navegador.

Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística

Vendas de carros novos no país crescem 11,6% em março

Mon, 04 de April de 2011


As vendas de automóveis e comerciais leves novos no país cresceram 11,6% em março no comparativo com fevereiro, contabilizando 288,8 mil carros emplacados, de acordo com os dados obtidos pela Folha.


Já no confronto com o mesmo intervalo em 2010 (337,4 mil), que teve um impulso nas vendas com a corrida dos consumidores às concessionárias para aproveitar os últimos dias de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) reduzido, houve recuo de 14,4%.


No acumulado do primeiro trimestre, as vendas apresentaram acréscimo de 3,7% ante igual período no ano passado, com o licenciamento de 777,9 mil unidades.
Na avaliação de Ayrton Fontes, consultor especializado no segmento de varejo de veículos, a redução no ritmo de expansão nos licenciamentos mostra que "a crise é silenciosa e está se intensificando".
 

Segundo ele, "o retorno nos financiamentos sempre foi um grande ganho, pois as taxas de juros sempre foram ´carregadas´ para os bancos pagarem o retorno desses financiamentos aos seus clientes concessionários".


Após as medidas tomadas pelo Banco Central no final do ano passado para conter o crédito para veículos, acrescenta, "a prática foi diminuindo e hoje poucos bancos ainda timidamente oferecem esse beneficio".


"A simples venda do veículo não proporciona nenhuma margem de lucro, pois a concorrência acirrada baliza os preços pelo custo", afirma. Para ele, a exceção ainda são os carros coreanos e chineses, nos quais, ressalta, não há "concorrência predatória" por haver poucas lojas em operação no país.


RECALL


No mês passado, entrou em vigor a regra que obriga a inclusão, no Renavam, de informações sobre o comparecimento dos veículos a um recall. O objetivo da medida é elevar a quantidade de proprietários que atendem ao chamado, fazendo o reparo identificado pela montadora.
Cerca de 40% dos veículos não comparecem ao recall, segundo estimativa do DPDC (Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor), ligado ao Ministério da Justiça.