Levantamento traz índices alarmantes sobre roubo de cargas no Brasil

Dados divulgados pela NTC&Logística mostram que houve um aumento de 16% nos casos, se comparado ao ano anterior.

 

Levantamento feito pela Associação Nacional do Transporte de Cargas & Logística (NTC&Logística), coordenado pelo assessor de segurança Coronel Paulo Roberto de Souza, traz índices atualizados e alarmantes sobre o Roubo de Cargas no Brasil. De acordo com as fontes apuradas, estima-se que em 2014 o aumento de casos foi de mais de 16% se comparado ao ano anterior, somando 17.500 casos.  A região sudeste representa 85,31% dessas ocorrências, sendo sua grande maioria em áreas urbanas, com 75% dos casos.

 

Na região sudestes, os números mais preocupantes são do estado do Rio de Janeiro que em 2013 registrou 3.535 casos e, no ano de 2014 contabilizou 5.889, elevando em aproximadamente 67% as ocorrências no período.

 

Segundo Souza, os números continuam subindo porque a legislação é branda com os criminosos. “A sensação de impunidade é o que motiva esse tipo de crime. A fragilidade do enquadramento penal só se intensificou com o passar dos anos. Observemos, por exemplo, a Lei 12.403 sancionada pela presidente no ano de 2011, que está em vigor, e ameniza os efeitos do código penal, criando a categoria de crimes de menor potencial ofensivo, aqueles com até quatro anos de pena, ou seja, com intuito de diminuir a quantidade de presos no país, essa lei garante que, no caso de crimes de menor potencial ofensivo,  nos quais se incluem os de receptação de cargas, o indivíduo seja levado ao Departamento de Polícia e indiciado, porém será liberado e poderá aguardar o processo em liberdade, após o pagamento da fiança”, afirma.

 

Considerando o cenário atual, em que os modus operandi desses criminosos incluem o uso do Jammer (aparelho que bloqueia o sinal de sistemas como GPS e celulares), as transportadoras precisam estar cada vez mais informadas sobre a forma de atuar desses marginais e investir em tecnologia e em processos de gestão (como o planejamento de rotas e regras específicas para a operação), como forma de neutralizar as ações criminosas. Vale um alerta ainda maior para os transportadores de eletroeletrônicos, carga mais visada, segundo o levantamento.

 

Fonte: NTC&Logística

Fonte:


Desenvolvido por Controle Online - Desenvolvimento de aplicativos

Hospedado por Go Infinite