Argentina deposita pagamento de US$ 1 bilhão a credores

 Argentina depositou nesta quinta-feira (26) pouco mais de US$ 1 bilhão para pagar detentores da dívida reestruturada do país que vence na próxima segunda-feira (29), informou o governo.

Mas uma sentença do juiz norte-americano Thomas Griesa impede que os creedores que aceitaram a troca de dívida cobrem seu dinheiro se a Argentina não pagar também os "holdouts".

Leia também:  Griesa determinou que os bancos dos Estados Unidos que processam os pagamentos da dívida da Argentina devem reter o dinheiro devido.

O ministro da Economia da Argentina, Axel Kicillof, declarou que uma decisão oficial de confiscar os recursos afetaria os direitos dos credores que aceitaram as renegociações anteriores.

O ministro declarou que foram depositados US$ 832 milhões, dos quais US$ 539 milhões foram transferidos a contas do Bank of New York Mellon, no banco central argentino.

A Argentina deu calote em  US$ 100 bilhões entre 2001 e 2002 e enfrenta uma disputa legal com um pequeno grupo de investidores que recusou os termos da reestruturação de dívida do país.

A Argentina precisa encontrar uma solução rápida para o imbróglio, após a Suprema Corte dos EUA informar que não aceitou escutar recurso de uma sentença anterior.

 

<p 0px="" 14px;="" padding:="" 0px;="" border:="" none;="" outline:="" list-style:="" font-size:="" 16.363636016845703px;="" line-height:="" 26px;="" font-family:="" arial;="" color:="" rgb(51,="" 51,="" 51);"=""> Kicillof voltou na madrugada desta quinta-feira de Nova York, onde fez apresentação à Organização das Nações Unidas sobre os problemas da dívida inadimplente. Lá, reuniu-se com advogados argentinos, mas não teve contato com os chamados "holdouts".

Fonte:


Desenvolvido por Controle Online - Desenvolvimento de aplicativos

Hospedado por Go Infinite