Exportações estão em crescimento de 12,4% em julho

Exportações estão em crescimento de 12,4% em julho

21/07/2014

 

Brasília (21 de julho) – As exportações brasileiras na terceira semana de julho foram de US$ 5,138 bilhões, com média diária de US$ 1,027 bilhão. O resultado é 1,7% superior à média de US$ 1,011 bilhão, verificada até a segunda semana do mês. Houve aumento nas exportações de produtos manufaturados (55,7%), com destaques para plataforma para produção de petróleo e gás, tubos de ferro fundido, autopeças, motores para veículos e máquinas para terraplanagem. Por outro lado, retrocederam as vendas de produtos básicos (-22,7%), com declínio em petróleo em bruto, soja em grão, minério de ferro, carne bovina e fumo em folhas. Também caíram as exportações de produtos semimanufaturados (-15,8%), em razão de celulose, açúcar em bruto, couros e peles, e semimanufaturados de ferro e aço.

 

No mesmo período, as importações somaram US$ 5,690 bilhões, com média diária de US$ 1,138 bilhão. Houve crescimento de 27,2%, sobre a média registrada até a segunda semana de julho (US$ 894,9 milhões). Houve acréscimo nos gastos com combustíveis e lubrificantes, equipamentos mecânicos, veículos automóveis e partes, químicos orgânicos e inorgânicos, e adubos e fertilizantes.

 

A balança comercial brasileira registrou déficit de US$ 552 milhões, com média diária negativa de US$ 110,4 milhões, nos cinco dias úteis (14 a 20) da semana. A corrente de comércio (soma das exportações e importações) totalizou US$ 10,828 bilhões, com média diária de US$ 2,165 bilhões.

 

Mês

 

No acumulado das três primeiras semanas de julho (14 dias úteis), as exportações foram de US$ 14,241 bilhões (média diária de US$ 1,017 bilhão), 12,4% a mais que a média de US$ 904,7 milhões registrada em julho do ano passado. Nos básicos (20,4%), o crescimento se explica, principalmente, pela maior venda de petróleo em bruto, café em grão, bovinos vivos, carne bovina, suína e de frango, e soja em grão. Nos semimanufaturados (6,8%), os destaques ficaram por conta de semimanufaturados de ferro e aço, ferro fundido, ferro-ligas, óleo de soja em bruto, e couros e peles. Entre os manufaturados (4,5%), houve acréscimo com exportações de plataforma de produção de petróleo e gás, tubos de ferro fundido, polímeros plásticos, motores e geradores, açúcar refinado, e suco de laranja não congelado.

 

A média diária das exportações nas três primeiras semanas de julho ficou 0,6% em relação ao valor aferido em junho deste ano (US$ 1,023 bilhão), com diminuição nas vendas de produtos semimanufaturados (-4,6%) e básicos (-3,8%), enquanto que cresceram as vendas de manufaturados (6,9%).

 

As importações, no acumulado mensal, foram de US$ 13,744 bilhões (média diária de US$ 981,7 milhões), 0,6% abaixo da média de julho de 2013 (US$ 987,2 milhões). Decresceram os gastos com veículos automóveis e partes (-15,9%), aparelhos eletroeletrônicos (-14,8%), equipamentos mecânicos (-11,4%), borracha e obras (-11,4%) e siderúrgicos (-10,2%).

 

No comparativo com a média diária das importações de junho passado (US$ 905,1), houve crescimento de 8,5%, com aumentos em cereais produtos de moagem (57%), adubos e fertilizantes (49,9%), combustíveis e lubrificantes (38,8%), e plásticos e obras (4,9%).

 

A corrente de comércio do mês alcançou US$ 27,985 bilhões (média diária de US$ 1,998 bilhão), com incremento de 5,7% em relação a julho de 2013 (US$ 1,891 bilhão) e de 3,7% em comparação a junho de 2014 (US$ 1,928 bilhão). O saldo comercial mensal está superavitário em US$ 497 milhões (média diária de US$ 35,5 milhões).

 

Ano

 

No acumulado de janeiro à terceira semana de julho deste ano (136 dias úteis), as vendas ao exterior somaram US$ 124,772 bilhões (média diária de US$ 917,4 milhões). Na comparação com a média diária do correspondente de período de 2013 (US$ 933,5 milhões), as exportações recuam 1,7%.

 

As importações, no acumulado do ano, foram de US$ 126,766 bilhões, com média diária de US$ 932,1 milhões. O valor está 2,4% abaixo da média registrada no período equivalente de 2013 (US$ 954,8 milhões).

 

O saldo da balança comercial no ano está deficitário em US$ 1,994 bilhão, com média diária negativa de US$ 14,7 milhões. No período correspondente do ano passado, havia déficit de US$ 2,938 bilhões, com resultado diário médio negativo em US$ 21,3 milhões

 

No acumulado do ano, a corrente de comércio somou US$ 251,538 bilhões, com média diária de US$ 1,849 bilhão. O valor é 2,1% menor que a média aferida neste período do ano passado (US$ 1,888 bilhão).

Fonte:


Desenvolvido por Controle Online - Desenvolvimento de aplicativos

Hospedado por Go Infinite