Possibilidade de reajuste da gasolina puxa a alta na Bovespa

Possibilidade de reajuste da gasolina puxa a alta na Bovespa

Os papéis da Petrobras e a queda de Dilma nas pesquisas anima investidores

 

Na Bolsa de Nova York, o índice Dow Jones fechou praticamente estável, com alta de apenas 0,08%

 

O anúncio do ministro da Fazenda, Guido Mantega, sobre o reajuste dos preços dos combustíveis, e a perspectiva de um desempenho negativo da presidente Dilma Rousseff em pesquisas eleitorais deram fôlego às ações da Petrobras, que tiveram altas de mais de 3% nessa quarta-feira (6/8). Os papéis da petroleira puxaram o desempenho positivo da Bolsa de Valores de São Paulo (BM&Fbovespa), e o principal índice, o Ibovespa, fechou o pregão com valorização de 0,51% a 56.487 pontos. As ações ordinárias da Petrobras (ON) subiram 3,28%, e as preferenciais (PN), 3,45%.

 

Na semana, a bolsa tem alta de 1,05% e, no mês, 1,18%. No ano, há valorização de 9,67%. Com o resultado de ontem, o Ibovespa fechou três altas em quatro dias, revertendo a queda da véspera por conta da crise na Ucrânia, motivo que ainda afeta os principais índices de ações dos Estados Unidos. Ontem, o Dow Jones encerrou o pregão em alta de 0,08%, a 16.442 pontos, e o S&P 500 ficou estável, a 1.920 pontos. O Nasdaq ganhou 0,05%, a 4.355 pontos.

 

Ambev

Para os especialistas, além da sinalização de que, finalmente, o governo vai permitir reajustes nos combustíveis e aliviar o represamento dos preços e o caixa da Petrobras, as ações da petroleira subiram porque a estatal voltou a ultrapassar a Ambev em valor de mercado. De acordo com o economista Jason Vieira, do portal de informações financeiras Moneyou, a Petrobras atingiu valor de US$ 108,5 bilhões

(R$ 247 bilhões), o que a coloca como a maior empresa de capital aberto da América Latina. Essa situação já havia acontecido no dia 22 de julho, mas, no dia seguinte, a Ambev retomou a liderança. A fabricante de cervejas está com valor de mercado de US$ 105,6 bilhões (R$ 240 bilhões).

 

Leia mais notícias em Economia

 

O maior valor de mercado já atingido pela Petrobras na sua história foi no dia 21 de maio de 2008, quando a empresa fechou com US$ 309,48 bilhões. Ou seja, o atual valor ainda está US$ 200,9 bilhões abaixo do pico. “É só olhar o preço da ação, a R$ 20, e ver quer ainda está longe de uma recuperação”, avaliou Vieira. O analista explicou ainda que o desempenho negativo da presidente Dilma, ontem, ao tentar negar um tarifaço de energia elétrica motivou o mercado a acreditar que ela cairá nas pesquisas eleitorais. O mercado sempre acha positivo a possibilidade de não reeleição da presidente.

 

Vieira disse, ainda, que a venda da sua participação na empresa Transierra S.A. por US$ 106,7 milhões, segundo comunicado divulgado pela companhia na terça-feira, também impactou positivamente no mercado. A participação acionária da Petrobras era de 44,5% e o comprador foi a Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB).

Fonte:


Desenvolvido por Controle Online - Desenvolvimento de aplicativos

Hospedado por Go Infinite