Mercado de transporte regrediu nos últimos anos

Mercado de transporte regrediu nos últimos anos

 
Embora inclua ônibus, a evolução do Índice ABCR de rodovias concedidas para veículos pesados dá uma boa ideia de como regrediu o movimento do transporte de cargas nos últimos três anos (gráfico 1).
 
Graf1
 

O índice médio anual caiu 14,81% em relação a 2013 e 6,72% apenas em 2016. Isso explica em parte a grande queda (cerca de 30%) do licenciamento de caminhões em 2016 (gráfico 2).  Este valor, correspondente a somente 50.562 veículos representa apenas 28% dos caminhões licenciados no ano de 2011 (172.902), quando o mercado bateu seu recorde anual nos últimos nove anos.

Outro fator que contribuiu bastante para este fraco desempeno da indústria de transportes foi o fato de que as boas vendas dos anos de bonança foram impulsionadas pelos juros subsidiados do BNDES e pela expectativa de um crescimento econômico que não veio. Pelo contrário, o PIB estagnou em 2014, para despencar em 2015 e 2016 e acumular queda superior a 7%;

Graf2

Totalmente dependente da indústria de caminhões, o setor de implementos rodoviários não teve desempenho diferente. Sua produção caiu 28,2% em 2016, quando entregou 65.597 unidades, apenas 34,4% das 196.101 produzidas em 2011 (gráfico 3).

Graf3

Neuto Gonçalves dos Reis
Diretor Técnico Executivo da &Logística, membro da Câmara Temática de Assuntos Veiculares do CONTRAN e presidente da 24ª. JARI do DER-SP.

Fonte:


Desenvolvido por Controle Online - Desenvolvimento de aplicativos

Hospedado por Go Infinite