Pela primeira vez em 20 anos, consumo de biocombustíveis para transportes cai no mundo, diz AIE

Segundo Agência Internacional de Energia, redução das atividades econômicas por causa da pandemia e queda no preço do Petróleo são os principais motivos

O consumo de biocombustíveis para os transportes no mundo caiu pela primeira vez em 2020 depois de praticamente duas décadas registrando altas ano a ano.

A informação é de um balanço preliminar da AIE (Agência Internacional de Energia) divulgado na última semana e que leva em consideração o uso em veículos pequenos, caminhões e ônibus, além do uso em locomotivas a combustão.

De acordo com a agência, a projeção é que o ano de 2020 se encerre com uma queda de 11,6% no consumo em relação ao verificado em 2019.

Os principais motivos, segundo a análise preliminar, têm relação direta com a pandemia de Covid-19.

Primeiro, porque a maior parte das atividades econômicas teve redução por causa da crise sanitária, o que afetou diretamente os transportes, tanto de cargas como de passageiros. Isso por si só já representa uma procura menor.

Mas um dos fatores preponderantes apontados pela AIE foi a queda do preço internacional do Petróleo, também por causa da pandemia e do desaquecimento econômico.

Assim, os biocombustíveis ficaram menos competitivos.

Desde março deste ano, quando a pandemia se intensificou em todo o Planeta, o barril do Petróleo tipo Brent não ultrapassou US$ 50.

Já o barril de biodiesel ficou em aproximadamente US$ 70, de acordo com o grupo agroindustrial Avril, da França. Outro fator é que os bicombustíveis são oriundos das mesmas plantações que compõem a alimentação básica de diversos países e a agricultura focou mais no abastecimento alimentar das famílias.

Fonte: Negócios em Transporte

Biocombustíveis


Desenvolvido por Controle Online - Desenvolvimento de aplicativos

Hospedado por Go Infinite