BBM faz aquisição para atender ‘boom’ de comércio online

André Prado, presidente da BBM Logística, vê forte potencial para consolidação no setor de transporte — Foto: Ana Paula Paiva/Valor

Com ou sem IPO, transportadora planeja novas compras em 2021; oito empresas estão no radar

A BBM Logística, de transporte rodoviário de cargas, anunciou, ontem à noite, sua terceira aquisição nos últimos 12 meses. O alvo desta vez foi a Diálogo Logística, empresa de médio porte especializada em eletrônico – segmento que teve forte expansão durante a pandemia.

A companhia deverá desembolsar até R$ 82 milhões na operação – parte do pagamento estará atrelado ao desempenho dos sócios da Diálogo, que serão incorporados à equipe da BBM.

A compra é parte do projeto de expansão da companhia, iniciado principalmente a partir de 2017, quando a gestora de investimentos Stratus entrou no capital da empresa, fundada em 1996 família Battistella.

Como o mercado de transporte rodoviário no Brasil é extremamente pulverizado – a participação das dez maiores empresas não chega a 10% -, há um potencial enorme para aquisições. No último ano, a BBM incorporou outros dois negócios: a Translovato, em dezembro de 2019, e a Translag, em setembro deste ano.

No caso da compra da Diálogo, a decisão foi tomada durante a pandemia, quando se constatou que a estrutura do grupo não conseguiria acompanhar o enorme crescimento das compras online no país, afirma presidente da empresa, André Prado.

“A BBM já tinha uma estrutura para atender toda a cadeia, desde a matéria-prima até o cliente. A Translovato [adquirida no último ano] já faz e-commerce. Mas o aumento foi tão abrupto que não daria tempo para desenvolver uma rede logística e sistemas para atender. Decidimos trazer uma nova empresa, para capturar de imediato esse mercado”, diz ele.

O plano de crescimento do grupo também passará pela oferta inicial de suas ações (IPO, na sigla em inglês) na B3. A companhia protocolou o pedido em fevereiro de 2020, mas o processo foi interrompido. “Houve muita volatilidade no mercado, com pandemia, eleições americanas. Estamos aguardando o melhor momento”, diz o diretor financeiro, Marco Antônio Modesti

O fôlego para aquisições persistirá em 2021. Hoje, há oito companhias em análise pela BBM. E, mesmo sem o IPO, a empresa avalia que tem recursos para algumas operações. “Temos caixa e estamos trabalhando em uma nova emissão de debêntures. Nosso nível de endividamento ainda permite praticamente dobrar a alavancagem. Dá para fazer, ao menos esta compra [da Diálogo] e outras duas, a depender do tamanho”, avalia Modesti.

No terceiro trimestre deste ano, a BBM registrou receita de R$ 259,8 milhões, um aumento de 65,5% em relação ao mesmo período de 2019. O Ebitda (lucro antes de juros, , depreciação e amortização) avançou 84,3%, e o lucro líquido, 14,4%. A alavancagem, medida pela relação entre dívida líquida e Ebitda, encerrou o trimestre em 1,6 vez.

Em relação à privatização dos Correios, o presidente afirmou que a empresa não deverá participar. “Já avaliamos e não está nossa estratégia de curto ou médio prazo. A BBM foca muito em tecnologia.O Correios é forte em distribuição, mas não muito em tecnologia”, diz Prado. Além disso, ele avalia que a empresa hoje já tem uma rede logística nas principais regiões do país, então não haveria um ganho tão expressivo com a estrutura da estatal.

Fonte: Valor Econômico

Transportadoras


Desenvolvido por Controle Online - Desenvolvimento de aplicativos

Hospedado por Go Infinite