Projetos de infraestrutura podem sair do papel em MG

O projeto do Rodoanel Metropolitano pode desafogar o Anel da Capital | Crédito: CHARLES SILVA DUARTE / ARQUIVO DC

Em 2020, a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade (Seinfra) dedicou-se ao desenvolvimento de importantes projetos, que serão implantados a partir do próximo ano. Entre os destaques citados pelo secretário de Estado de Infraestrutura e Mobilidade, Fernando Marcato, durante balanço anual da Pasta, dentro do Programa de Concessões, estão o Rodoanel Metropolitano de Belo Horizonte, o Mineirinho, o Aeroporto da Pampulha e o Terminal Rodoviário de Belo Horizonte.

“Após Minas ficar parada durante muito tempo no seu programa de concessões, ao longo dos últimos dois anos, mas mais especificamente deste ano, tivemos a estruturação dos projetos. As ações também foram atrapalhadas pela Covid-19, mas isso não impediu que prosseguíssemos com os estudos. Já estamos colhendo os primeiros frutos, uma vez que o primeiro edital já foi publicado e em fevereiro teremos a abertura das propostas do primeiro parque a ser concedido”, explicou.

Mas como não podia deixar de ser, o grande destaque da apresentação ficou por conta do projeto do Rodoanel Metropolitano, cujo investimento inicial projetado é de R$ 6 bilhões, em uma obra que beneficiará diretamente dez municípios que, juntos, representam 30% do Produto Interno Bruto (PIB) mineiro.

A ideia, conforme já publicado pelo DIÁRIO DO COMÉRCIO, é desafogar o Anel Rodoviário e transferir todo o tráfego de cargas para a nova rodovia, que terá mais de 100 quilômetros de extensão.

“Já está em fase bastante adiantada de finalização. Bateremos o martelo dos estudos na semana que vem e iniciaremos as consultas públicas entre janeiro e fevereiro de 2021. Além disso, estamos em contato com o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) para nos ajudar na estruturação financeira”, explicou.

Em relação ao Programa de Concessões Rodoviárias, Marcato citou que pretende passar à iniciativa privada 3,2 mil quilômetros de rodovias mineiras. Para este projeto são estimados R$ 7 bilhões de investimentos e a geração de 30 mil empregos diretos. A Seinfra prevê o lançamento da consulta pública de todos os seis lotes em 2021 e a licitação dos lotes 1 e 2 — Triângulo Mineiro e Pouso Alegre-Itajubá — em novembro de 2021.

Pampulha – Além disso, o secretário de Estado de Infraestrutura e Mobilidade disse que a atual gestão pretende que Belo Horizonte se torne uma referência nacional e internacional em negócios e entretenimento a partir da região da Pampulha, com as concessões do aeroporto e do Mineirinho. Segundo ele, em novembro, foram concluídos os estudos do Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) para a concessão do Aeroporto Carlos Drumond de Andrade, mais conhecido como Aeroporto da Pampulha.

“O edital foi lançado em julho e as consultas públicas terão início em fevereiro de 2021. O projeto vai muito além de uma concessão de aeroporto. Envolve um projeto imobiliário bastante agressivo, que transformará Belo Horizonte como referência nacional e internacional de negócios e entretenimento. E acima de tudo vai se tornar o maior aeroporto de aviação executiva dedicada do País”, ressaltou.

E de maneira complementar, de acordo com Marcato, o plano para o Mineirinho é transformá-lo em um centro de entretenimento e gastronomia, em formato de arena, aproveitando a proximidade com o Aeroporto da Pampulha e a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), e cuja concessão deverá ocorrer no ano que vem.

Fonte: Diário do Comércio

Infraestrutura


Desenvolvido por Controle Online - Desenvolvimento de aplicativos

Hospedado por Go Infinite