Produção industrial de fevereiro cresce em 11 de 15 locais pesquisados pelo IBGE

Foto: Suframa 

A produção industrial do país cresceu em 11 dos 15 locais pesquisados pelo IBGE na passagem de janeiro para fevereiro deste ano. De acordo com a Pesquisa Industrial Mensal Regional, divulgada nesta quarta-feira pelo instituto, as taxas positivas mais acentuadas foram do Pará (7,2%), Espírito Santo (5,9%) e Pernambuco (4,5%).

Mato Grosso, Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, Minas Gerais e Ceará também alcançaram avanços acima da média nacional, de 0,5%. Região Nordeste e Goiás completaram o conjunto de locais com índices positivos em fevereiro.

Por outro lado, Bahia, com -3,2%, e Amazonas, com -2,2% apontaram os recuos mais intensos nesse mês, seguidos de Rio de Janeiro e São Paulo.

O IBGE informa que o resultado do Pará é o mais alto desde agosto de 2019, quando registrou avanço de 8,4%. A taxa de fevereiro deste ano foi influenciada pelo bom desempenho de metalurgia, produtos minerais não metálicos e produtos de madeira.

Já o resultado negativo de São Paulo, que é o maior parque industrial do país, foi influenciado pela redução de produção nos setores de derivados do petróleo e biocombustíveis, pressionado principalmente pela queda em óleo diesel, óleos e gasolina automotiva e também no setor de alimentos, puxada pela queda na produção de sorvetes e picolés, carnes bovinas congeladas e sucos concentrados de laranja.

Na comparação com fevereiro de 2019, dez dos 15 locais pesquisados tiveram alta, com destaque para Pernambuco e Rio de Janeiro. Dos cinco locais em queda, os recuos mais intensos foram em Minas Gerais e Espírito Santo.

No acumulado do ano, nove dos locais tiveram alta, entre eles, mais uma vez, Rio de Janeiro e Pernambuco. Por outro lado, Espírito Santo e Minas Gerais também lideraram as quedas registradas em seis locais.

Fonte:


Desenvolvido por Controle Online - Desenvolvimento de aplicativos

Hospedado por Go Infinite