Artigo: Um serviço extremamente essencial

 

Lucas Gonzalez, Deputado Federal por Minas Gerais (Foto: Divulgação)

Em 2018 tivemos a greve dos caminhoneiros, reinvindicações que impactaram o Brasil inteiro e mostraram ao cidadão comum como somos dependentes do transporte de cargas, principalmente o . A falta de estoque em supermercados, gasolina nos postos, manufaturados imprescindíveis para a indústria, entre outros, abriu os olhos para que a sociedade veja a importância de um sistema de transporte funcional.

Agora em 2020 não é diferente, a pandemia do Coronavirus poderia ter um impacto ainda maior com uma paralização do setor. Imaginem a falta de alimentos, medicamentos, equipamentos de segurança causada pelo não escoamento proporcionado pelo transporte de cargas, acrescente agora uma população assustada com algo nunca visto antes. É o cenário perfeito para vermos a corrida aos mercados e farmácias, com estocagem em massa e a falta de produtos para todos.

Não há como negar que o transporte de cargas é essencial, profissionais que não recebem o destaque da mídia, mas que fazem parte da linha de frente de combate ao vírus e a contribuem para a manutenção da ordem.

São esses motoristas que garantem o tratamento de tantos doentes com o transporte de medicamentos, equipamentos de segurança, equipamentos e componentes essenciais para o cuidado como respiradores e outras máquinas. 

São esses motoristas que garantem a alimentação da população em quarentena, fazendo a ponte entre o produtor e o consumidor reestocando mercados e garantindo comida no prato.

No início da pandemia escrevi um texto a respeito dos ajustes que eram necessários para garantirmos que o transportador conseguiria cumprir seu trabalho. “É preciso diálogo e uma ação coordenada entre os entes (…) Um transporte de cargas entre o ponto A e o ponto C não pode ser inviabilizado porque no meio do caminho, o ponto B, toma medidas que irão prejudicar a logística. Isso não vale apenas para o governo, mas também autarquias, forças policiais e empresas que operam em âmbito nacional”.

Nesse sentido muitas medidas já foram tomadas e hoje podemos ver que o país, apesar de parado, tem sobrevivido e em parte por conta do trabalho de empresas e motoristas que tem aceitado mais que um trabalho, mas uma missão de ajudara nação com seus serviços. 

Não tem sido fácil, todos os setores tem sofrido, uns mais do que outros e o setor de transportes não é diferente, com uma queda de mais de 40% na demanda, mas alguns lugares já tem gradativamente buscado uma reabertura do isolamento, o que é um bom sinal para o mercado e consequentemente o setor que será reaquecido. 

Temos diferentes estados passando por diferentes estágios da crise da pandemia o que demonstra que a normalidade ainda não está instaurada, e ainda teremos a segunda onda, a crise econômica, mas sabemos que podemos contar com essas mesmas empresas e motoristas na recuperação da .

Quero honrar a vida de cada um que tem trabalhado para que o transporte de cargas não pare e valorizar o seu trabalho. Tudo isso irá passar e o Brasil irá continuar!

Lucas Gonzalez, Deputado Federal de Minas Gerais

Fonte:


Desenvolvido por Controle Online - Desenvolvimento de aplicativos

Hospedado por Go Infinite