Carreata de caminhões comemora o Dia do Motorista em Porto Alegre

Foto: Alina Souza

Cortejo ocorreu na Zona Norte da cidade

O Dia do Motorista, 25 de julho, foi comemorado no último sábado com um carreata de caminhões na Zona Norte de Porto Alegre. Cinco empresas associadas ao Sindicato das Empresas de Transportes de Carga e Logística no Estado do Rio Grande do Sul  (Setcergs) participam do cortejo de caminhões de carga que saiu da avenida Plínio Kroeff, no Complexo Logístico do Porto Seco, e percorreu as avenidas Plinio Kroeff, Baltazar de Oliveira Garcia, Sertório, Assis Brasil e Francisco Silveira Bitencourt, retornando depois para o ponto de partida. A EPTC e a Brigada Militar acompanharam ao longo do trajeto. 

A carreata no Dia do Motorista acontece há alguns anos por iniciativa da Vitlog, sediada no Porto Seco. O diretor da empresa e dirigente também do Setcergs, Marcus Vinicius Couto da Silva, disse que o objetivo principal é “valorizar o nosso motorista, tão necessário em qualquer empresa de transporte de cargas”. Segundo ele, não é a primeira vez que ocorre a participação de outras empresas do setor. “É para dar mais ênfase nesta ação e mostrar a importância do setor e a representatividade”, justificou.

Marcus Vinicius Couto da Silva falou também como o setor tem lidado diante da pandemia do novo coronavírus. Ele recordou que o modal de transporte rodoviário de cargas leva todo tipo de mercadoria, com empresas que trabalham com os mais diferentes ramos econômicos, como de alimentação e farmacêutico. “Todos sentiram o impacto, mas ao mesmo tempo já existe uma sensação de estabilidade digamos assim no setor”, avaliou. “O pior já passou”, sintetizou. “Como o transporte é um serviço essencial à sociedade, ninguém parou em nenhum momento. As empresas podem ter dito suas reduções, mas ao mesmo tempo nunca deixaram de funcionar”, destacou. Ele ressaltou ainda o online também movimentou o transporte rodoviário de cargas

O diretor constatou ainda a solidariedade prestada pela sociedade aos motoristas profissionais nas neste período de pandemia, com postos de atendimento nas margens e nos postos de onde forneciam cestas básicas e kits de prevenção ao novo coronavírus. Marcus Vinicius Couto da Silva citou que muitos caminhoneiros encontraram dificuldades nas rodovias, deparando-se com estabelecimentos comerciais fechados. “É muito legal ver esse movimento. Isso demonstra o quanto as pessoas enxergam que o transportador e o caminhoneiro são importantes para a sociedade como um todo”, concluiu.

Fonte:


Desenvolvido por Controle Online - Desenvolvimento de aplicativos

Hospedado por Go Infinite