Petróleo fecha em alta, puxada por tensão entre EUA e Irã e negociação EUA-China

Os contratos futuros de petróleo fecharam em alta nesta segunda-feira, 8, apoiados pelo acirramento das tensões entre os Estados Unidos e o Irã. Também colaboram com a alta comentários positivos sobre as negociações comerciais entre os EUA e a China e a informação de que, embora os estoques globais do óleo continuem significativamente acima da média, o mercado caminha para o equilíbrio.

O petróleo WTI para maio fechou com ganho de 2,09%, a US$ 64,40 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), e o Brent para junho avançou 1,08%, a US$ 71,10 o barril, na ICE.

Em comunicado enviado à imprensa, a Casa Branca divulgou, nesta segunda, a decisão do governo americano de incluir, na lista de Organizações Terroristas Estrangeiras (FTO, na sigla em inglês), o Exército dos Guardiães da Revolução Islâmica do Irã, incluindo a Força Quds, unidade especial do grupo. Foi a primeira vez que uma organização governamental foi classificada como terrorista pelos EUA. De acordo com o comunicado, “a ação manda uma clara mensagem a Teerã, de que seu apoio ao terrorismo tem sérias consequências”.

O presidente americano, Donald Trump, afirmou que “o regime iraniano é o principal país patrocinador do terrorismo, ressaltando que o Irã “exporta mísseis perigosos, alimenta conflitos no Oriente Médio e apoia práticas terroristas”. O comunicado diz, ainda, que os EUA continuarão a ampliar a pressão financeira sobre o regime iraniano até o país abandonar este “maligno e ilegal comportamento”. Os preços do petróleo aceleraram após a notícia.

Ainda nos EUA, no último domingo o diretor do Conselho Econômico da Casa Branca, Larry Kudlow, disse que as negociações comerciais entre os EUA e a China estão “cada vez mais próximas” de um acordo entre as duas maiores economias globais, após “bom progresso” ter sido conquistado na última semana, quando o vice-premiê do país asiático Liu He esteve em Washington para dar prosseguimento às conversas.

Por fim, na manhã desta segunda, o ministro de Energia da Arábia Saudita, Khalid al-Falih, afirmou que os estoques de petróleo estão significativamente acima da média, embora tenha ressaltado que o mercado está caminhando para o equilíbrio. “Fizemos muito mais do que os outros. Estamos chegando a um estágio em que os estoques estão começando a se estabilizar e a cair, mas ainda continuam significativamente acima do que eu consideraria um nível normal”, comentou. A perspectiva de normalização dos estoques apoia o preço do óleo.

Fonte:


Desenvolvido por Controle Online - Desenvolvimento de aplicativos

Hospedado por Go Infinite