Motoristas caminhoneiros apontam investimento em tecnologia como essencial para segurança nas estradas

Foto: Lots/Divulgação

A campanha Maio Amarelo, que alerta para o alto índice de acidentes de trânsito, está completando 10 anos, e ainda há muito trabalho pela frente quando o assunto é segurança nas estradas e redução de acidentes.

Segundo o DATASUS, o trânsito ainda mata mais de 33 mil pessoas por ano no Brasil, e o país não tem conseguido cumprir o compromisso internacional com a ONU de reduzir pela metade o número de mortes até 2028. Só no Estado de São Paulo, as mortes no trânsito, que vinham caindo, voltaram a subir, no ano passado. Nas rodovias federais, os acidentes com caminhões representam 47% do total (Anuário Estatístico da PRF 2022).

Para conscientizar os motoristas e oferecer soluções de transporte cada vez mais seguras, a LOTS Group, empresa de logística do grupo Scania, realizou, em abril deste ano, a pesquisa “Segurança nas Estradas”, com 291 motoristas de caminhão que fazem parte do quadro de colaboradores da companhia.

“Em todas as nossas operações, Segurança é a prioridade número um, não há nada mais importante. Investimos muito em treinamentos e na conscientização do nosso tempo e utilizamos a pesquisa como termômetro para avaliar o nível de percepção de risco dos nossos colaboradores, além da eficácia de nossas medidas preventivas. Entendemos que os condutores conscientes e com boa percepção de riscos, adotando comportamentos seguros, colaborando não só para a sua própria segurança, mas para um trânsito melhor para todos”, explica Fernando Valiate, COO da LOTS Group Latin America.

Tecnologia

Para monitorar a frota e evitar falhas e imprudência, o Grupo LOTS investe em diversas tecnologias voltadas à segurança de suas operações, como georreferenciamento controlado, monitoramento de estradas, gerenciamento de pneus, monitoramento de vídeo, telemetria, entre outros. Todos os veículos do grupo são conectados e possuem monitoramento 24h por dia para maior segurança e tomada de decisão em tempo real.

Na pesquisa “Segurança nas Estradas”, os caminhoneiros apontaram o checklist virtual do veículo (87,2%), procedimento realizado pelo motorista por um tablet que verifica diversos pontos do caminhão para atestar que o veículo está apto para iniciar o giro, além da manutenção dos equipamentos em dia, como as principais soluções de segurança. Em seguida, estão as câmeras de monitoramento de fadiga instaladas dentro do veículo (70,3%).

“Utilizamos a tecnologia como ferramenta para alcançar melhorias. Fomos pioneiros ao investir nas câmeras de monitoramento inteligentes no Brasil, em um período em que nem mesmo nossos clientes perceberam o valor das mesmas. Hoje, após 5 anos, não só provamos o seu valor para nossos clientes, como também ajudamos a criar uma nova percepção de valor em todo o mercado de transportes. As câmeras captam os movimentos do motorista e todas as suas ações dentro do caminhão por meio de inteligência artificial. Elas monitoram se o condutor está distraído, desviando o foco da estrada, cansado, com sono, sem uma das mãos no volante, ou até mesmo utilizando o celular. Após a implementação da tecnologia, constatamos a diminuição de 100% do uso do celular, que é considerada a terceira maior causa de mortes no trânsito no Brasil, diminuímos em 87% a ocorrência de fadiga, além de reduzirmos em 78% o excesso de velocidade . Estamos comemorando cinco anos de atuação aqui em nossa região, Brasil, Chile e Peru, e não possuímos nenhum acidente fatal ou mesmo acidente pessoal grave com nossos colaboradores, isso graças à forte cultura de segurança que implementamos em nossas operações”, revela o executivo .

Ele ressalta ainda que todos os condutores da empresa passam por treinamentos rígidos antes de iniciarem os trabalhos na empresa e periodicamente há capacitações para reciclagem de direção segura e responsável. Além disso, o grupo tem uma parceria com o SEST SENAT e oferece um curso online gratuito para qualquer pessoa que queira aprender mais sobre direção segura e eficiente, saiba mais aqui.

Pesquisa

Para a maioria dos motoristas caminhoneiros (79,7%), que responderam o seguinte “Segurança nas Estradas “, o uso do cinto de segurança foi apontado como o principal item de segurança, inclusive, para evitar lesões graves e até a morte em casos de acidentes. Em seguida estão: não fazer ultrapassagens toleradas (71,4%), não dirigir com sono ou cansado (57,2%), não ultrapassar a velocidade permitida (52,1%) e manter em dia a revisão e manutenção do veículo ( 32,8%).

O motorista Gilberto dos Santos, 43 anos de idade, que está há dez anos na profissão e há pouco mais de 2 anos na LOTS Group, conta que já viu muitos acidentes sofridos nas estradas e na maioria por imprudência. “Não adianta ter pressa pra chegar e apertar o acelerador, dirigir com sono e exalar ou ingerir produtos químicos para não dormir. Isso coloca em risco a vida não apenas de nós, motoristas, mas de passageiros e pedestres”, destaca ele, que nunca se envolve em acidentes.

Estradas

Cada motorista precisa fazer a sua parte para um trânsito mais seguro, no entanto, a qualidade da malha viária e sinalização também são essenciais. Para os motoristas controlados pela LOTS, as rodovias bem sinalizadas (92,8%), orientação dos motoristas (87,6%), manutenção do asfalto (65,5%) e fiscalização adequada (25,9%) também interferem diretamente na segurança e respeito nas estradas.

“Nós precisamos fazer a nossa parte, cumprindo as leis de trânsito e dirigindo com respeito e consciência, por isso, acreditamos que investindo na formação e capacitação do nosso tempo estamos formando também melhores cidadãos, que serão exemplos para outros. Porém, sabemos que as más condições das vias, a falta de sinal ou a sinalização insuficiente, e até mesmo a falta de fiscalização em pontos críticos, também são cruciais, pois além do comportamento seguro, um ambiente seguro é importante para reduzir acidentes. Por isso, todos os anos fomentamos uma reflexão profunda no mês do Maio Amarelo, onde condutores, empresas, poder público, e a população precisam refletir sobre o seu comportamento e atuar juntos para construirmos um trânsito mais seguro para todos”, finaliza Fernando.

Fonte: Estadão/Blog do Caminhoneiro

Segurança

%d blogueiros gostam disto: