Rodovias e ferrovias do Brasil receberão investimentos de R$ 1,7 bilhão

Ministério dos Transportes inicia gestão com proposta de recuperar malha rodoviária e dar seguimento a projetos ferroviários fundamentais

Elaborado para melhorar a qualidade das rodovias brasileiras, o Plano de 100 Dias com as ações prioritárias do governo feral, por meio do Ministério dos Transportes, para os setores e terá cerca de R$ 1,7 bilhão para retomar e intensificar obras, preparar para o período de chuvas, garantir o escoamento da safra agrícola e diminuir o número de acidentes graves.

O valor possibilitará a entrega de 861 quilômetros pavimentados, revitalizados e sinalizados até abril de 2023. Ainda haverá a construção e revitalização de 72 pontes e viadutos no mesmo período. As principais entregas estão incluídas em 12 rodovias que cortam o País. São elas: a BR-432/RR, BR-364/AC, BR-116/CE, BR-101/SE, BR-116/BA, BR-080/GO, BR-101/AL, BR-381/MG, BR-, 447/ES, BR-163/PR, BR-470/SC e BR-116/RS.

As prioridades nos setores e foram detalhadas na semana passada pelo ministro dos Transportes, Renan Filho, durante coletiva de imprensa. Segundo ele, o governo irá priorizar e fortalecer o uso dos recursos já existentes para obras estruturantes. “Vamos investir nos grandes corredores de transporte, nas duplicações de rodovias e nas integrações ferroviárias para a ampliar competitividade da nossa . Estamos fazendo o reordenamento do ciclo de planejamento para os próximos quatro anos”, afirmou.

Conforme explicou o ministro, também haverá a retomada de mais 670 quilômetros de obras hoje paradas por falta de verbas, onde estão previstas revitalização, construção e segmentos críticos. Até o fim de 2022, havia mais de 100 empreendimentos em rodovias com ritmo lento ou completamente sem segmento.

De acordo com o ministro, a ideia do governo é ampliar investimentos para fortalecer a competitividade internacional, preservando as condições ambientais do país. “Nossa meta é interromper a involução do setor dos últimos quatro anos. Estamos abertos a aprimorar nossos procedimentos para atrair mais investimentos privados, somando esforços com os recursos públicos”, concluiu. O Ministério dos Transportes também recebeu sugestões de ações prioritárias por meio de uma consulta pública. Foram mais de 6 mil contribuições, a maioria no sentido de ampliar a competitividade da infraestrutura e da logística de transportes de cargas e pessoas; promover a segurança do trânsito; melhorar a qualidade da infraestrutura e serviços de transportes; e outros pontos relacionados à redução da burocracia, sustentabilidade, governança e acesso à informação.

Fonte: Jornal do Comércio

Infraestrutura

%d blogueiros gostam disto: