Flat Preloader Icon
Empresários gaúchos podem solicitar crédito do BNDES

Empresários gaúchos podem solicitar crédito do BNDES

Ao todo, até R$ 15 bilhões poderão ser usados em financiamentos

Empresários de diferentes portes, cooperativas, produtores rurais, transportadores autônomos de carga e empresários individuais (MEIs) de 95 municípios em estado de calamidade pública no Rio Grande do Sul podem enviar propostas de crédito a partir desta terça-feira (11) para acessar os recursos de R$ 15 bilhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), na modalidade emergencial.

Pessoas jurídicas devem procurar uma das agências bancárias da rede – de cerca de 40 instituições financeiras –, que já operam com seus recursos no RS e estão habilitadas a operar o programa BNDES Emergencial no estado. Já aderiram ao programa o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE); Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Banrisul); Badesul Desenvolvimento; Bradesco; Banco Safra e as cooperativas de crédito Sicredi e Cresol. São as chamadas operações indiretas, em que outra instituição financeira opera recursos do BNDES.

O presidente do BNDES, Aloizio Mercadante, orientou o público-alvo a procurar gerentes de instituições financeiras em que já são clientes. “Esses recursos precisam chegar na ponta o mais rápido possível, com todos os desafios apresentados antecipadamente. O gerente do banco, os técnicos, nunca lidaram com uma situação como essa. Pela escala, é um desafio novo, mas há uma sensibilidade, compromisso e sentimento muito forte no Brasil para superar essas dificuldades”.

A lista de toda a rede credenciada está disponível na página eletrônica do BNDES.

Os recursos estarão disponíveis para clientes que já tiverem seu crédito aprovado pelos bancos, a partir do dia 21/06, sexta-feira.

Nas operações indiretas, os juros ficarão entre 7% e 12% ao ano. E as instituições que concederem os empréstimos assumem o risco de inadimplência das operações.

Critérios

As linhas de crédito operacionalizadas em parceria com o BNDES são direcionadas àqueles que sofreram perdas, danos e consequências econômicas e sociais em decorrência dos eventos climáticos extremos, que afetaram municípios desde o fim de abril e no mês de maio.

Para ter direito a fazer a solicitação, o empreendimento precisa estar em município do Rio Grande do Sul que teve o estado de calamidade pública decretado pelo governo federal, por meio de portaria publicada no Diário Oficial da União. A solicitação pode ser feita até 31 de dezembro deste ano.

O BNDES destaca que os pedidos de financiamento protocolados pelos empresários no BNDES devem ser feitos em até 12 meses após a publicação do reconhecimento oficial do estado de calamidade pública daquele município pelo Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional (MDR), e o prazo limite de vigência do Programa BNDES Emergencial para o Rio Grande do Sul.

Linhas de financiamento

O governo federal, via BNDES, disponibilizou três linhas de financiamento. O valor máximo por cliente é de R$ 300 milhões para financiar compra de máquinas e equipamentos e para construir ou reformar fábricas, galpões, armazéns, lojas ou escritórios, e de R$ 400 milhões para capital de giro. As condições são as seguintes:

               1 – Máquinas e equipamentos, para recompor a capacidade produtiva afetada de todos os setores da economia.

·         Valor máximo por cliente: até R$ 300 milhões.

·         Prazo: até cinco anos (até um ano de carência).

·         Taxa de juros: até 0,6% ao mês.

      2  – Investimento e reconstrução: de fábricas, galpões, armazéns, estabelecimentos comerciais e outras instalações prejudicadas no estado).

·         Valor máximo por cliente: até R$ 300 milhões.

·         Prazo: até cinco anos (até um ano de carência).

·         Taxa de juros: até 0,6% ao mês.

             3 – Capital de giro e apoio financeiro: para necessidades imediatas envolvendo pagamento da folha e/ou fornecedores, recomposição de estoques e custos para manutenção e retomada de atividades.

·         Valor máximo por cliente: até R$ 400 milhões.

·         Prazo: até cinco anos (até um ano de carência).

·         Taxa de juros: até 0,9% ao mês.

BNDES Emergencial para o RS

Os R$ 15 bilhões disponibilizados pelo BNDES, por meio do Programa Emergencial para o Rio Grande do Sul, são do superávit financeiro do Fundo Social, conforme a Medida Provisória nº 1.226, publicada em 29 de maio de 2024.

A Resolução nº 5.140/2024 do Conselho Monetário Nacional (CMN), aprovada em 5 de junho, definiu condições financeiras para o acesso ao crédito.

As linhas especiais de crédito para socorrer empresas afetadas pelas enchentes no Rio Grande do Sul terão juros de 6% a 12% ao ano, dependendo do tamanho da empresa e da finalidade do crédito.

No caso das pessoas jurídicas, a concessão de crédito é condicionada à manutenção ou ampliação do número de empregos existentes antes das enchentes no Rio Grande do Sul.

O banco federal criou um site para tirar dúvidas sobre as medidas emergenciais para o Rio Grande do Sul.

É hoje: NTC&Logística, por meio da COMJOVEM realiza live de lançamento da Campanha de Doação de Sangue “COMJOVEM Salva Vidas 2024”

É hoje: NTC&Logística, por meio da COMJOVEM realiza live de lançamento da Campanha de Doação de Sangue “COMJOVEM Salva Vidas 2024”

Hoje (11), será realizada uma live para lançar oficialmente a Campanha de Doação de Sangue “COMJOVEM Salva Vidas 2024”, que acontece anualmente durante os meses de junho, julho e agosto. O evento será transmitido ao vivo na TV NTC, através do canal do YouTube da entidade, a partir das 10 horas.

O presidente da NTC&Logística, Eduardo Rebuzzi; o coordenador Nacional da COMJOVEM, André de Simone; os vice-coordenadores Priscila Zanette e Hudson Rabelo; a coordenadora do Núcleo de Porto Ferreira, Amanda Juliani, e a vice-coordenadora do Núcleo do Centro-Oeste Mineiro, Michelle Fernandes, participarão da live, registrando a relevância da iniciativa e esclarecimentos indispensáveis.

A Campanha “COMJOVEM Salva Vidas”, iniciada em 2017, já resultou em mais de 4 mil doações de sangue e mais de 300 inscrições para doação de medula óssea. Esses números impressionantes são fruto do esforço e da colaboração dos Núcleos da Comissão e seus integrantes.

Segundo o Ministério da Saúde, apenas 1,4% da população brasileira doa sangue regularmente, o que é metade do recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Em resposta aos baixos níveis de estoque, o mês de junho é marcado pelo Junho Vermelho, uma campanha de conscientização que visa alertar sobre a importância da doação de sangue.

Uma única doação de sangue pode ser dividida em quatro componentes: hemácias, plaquetas, plasma e crioprecipitado – uma fração do plasma fresco congelado. Isso permite que mais de uma pessoa seja beneficiada com apenas uma doação.

Participe e ajude a salvar vidas!

Link da transmissão: https://www.youtube.com/watch?v=CKv6F-q0OrI

NTC&Logística apoia repúdio do setor produtivo à MP 1.227/24

NTC&Logística apoia repúdio do setor produtivo à MP 1.227/24

A Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC&Logística) apoia o posicionamento das Confederações do setor produtivo, repudiando a MP 1.227/2024 e solicitando sua devolução e rejeição pelo Congresso Nacional. A NTC&Logística defende o diálogo e a cooperação entre governo e empresas para promover a geração de empregos e oportunidades econômicas, em vez de aumentar a carga tributária. As transportadoras já enfrentam altos impostos, comprometendo seu crescimento e capacidade de investimento, o que afeta o fluxo de caixa, eleva os custos operacionais e impacta negativamente a cadeia produtiva, o emprego e o consumidor.

Confira o posicionamento oficial das Confederações 

O que significa “Mobilidade Urbana Sustentável”, tema do 8º Fórum CNT de Debates?

O que significa “Mobilidade Urbana Sustentável”, tema do 8º Fórum CNT de Debates?

O evento, que está com inscrições abertas, deve reunir autoridades, empresários e especialistas para debater soluções para o transporte nas cidades

Qual é a primeira imagem que vem à sua cabeça quando você escuta o termo “mobilidade urbana sustentável”? Muitos vão pensar em combustíveis verdes, outros lembrarão de veículos não poluentes, mas nem todos se recordam da importância do transporte público e sobre trilhos.

Na verdade, são vários os fatores necessários para a garantia constitucional do direito de ir e vir de modo sustentável para governos, empresas e cidadãos. Para jogar luz sobre tais questões, será realizado o 8º Fórum CNT de Debates.

O propósito é falar sobre as raízes dos problemas da mobilidade urbana das cidades, com um olhar voltado para a sustentabilidade econômica, social e ambiental. Confira, abaixo, alguns dos assuntos em pauta no evento.

  1. Transporte público rodoviário e sobre trilhos (trem, metrô, VLT etc.).
  2. Integração entre os modais.
  3. Financiamento público e privado.
  4. Criação de faixas exclusivas para ônibus.
  5. Uso de tecnologias da informação para otimizar serviços.
  6. Transporte de carga last mile, impulsionado pelo e-commerce.
  7. Micromobilidade como suplemento na cadeia de transporte.

Saiba mais sobre o 8º Fórum CNT de Debates

O 8º Fórum CNT de Debates será realizado no dia 9 de julho de 2024, em Brasília/DF, em formato híbrido (presencial e com transmissão online). São esperados cerca de 200 participantes selecionados no local e mais de 500 acompanhando via internet em tempo real.

Estão previstos dois painéis: um, para debater os desafios para a implementação de uma mobilidade urbana sustentável, e outro, sobre o Novo Marco Legal do Transporte Público Coletivo. Nomes de peso foram convidados para as conversas e alguns já confirmaram a presença, como o diretor-presidente do Instituto Ethos, Caio Magri, e o presidente do Consetram (Conselho Nacional de Secretários de Transportes), Fábio Damasceno.

As inscrições já estão abertas para todos os interessados e incluem certificado de participação. Ao preencher e enviar o formulário, a participação será automaticamente confirmada na modalidade online. Para o presencial, será necessário aguardar a análise da equipe da CNT.

O evento conta com apoio institucional do Consetram, da ANPTrilhos e da NTU.

Serviço

8º Fórum CNT de Debates – Mobilidade Urbana Sustentável

Data: 9 de julho de 2024

Hora: 9h às 13h

Transmissão: Canal da CNT no YouTube

Local: Sede do Sistema Transporte

SAUS Quadra 1 – Edifício Clésio Andrade – Asa Sul – 70070-944 – Brasília/DF

Inscrições e programação: Página do 8º Fórum CNT de Debates

ANTT vai realizar Reunião Participativa sobre parâmetros dos contratos de concessão

ANTT vai realizar Reunião Participativa sobre parâmetros dos contratos de concessão

O debate, restrito a convidados, será transmitido ao vivo pelo Canal ANTT no Youtube

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) vai promover a Reunião Participativa nº 10/2024, no dia 10/6, para debater a classificação dos projetos de outorga rodoviária para definição de padrões referenciais para o escopo, os parâmetros de desempenho e os parâmetros técnicos dos contratos de concessão.

Em virtude do avanço do modelo de concessões rodoviárias ao longo dos anos – hoje na 5ª Etapa de Concessões –, das diferenças de infraestrutura e de volume de tráfego, bem como da mudança de diretrizes recebidas pela Agência, observou-se maior número de padrões utilizados ao longo dos últimos leilões de rodovias federais concedidas. Constatou-se a necessidade de estabelecer categorias referenciais para os contratos de concessão, a fim de melhor definir seus padrões de escopo, parâmetros de desempenho e parâmetros técnicos.

A sessão pública será no dia 10 de junho de 2024, restrita a convidados, com transmissão no Canal da ANTT pelo Youtube. Já o envio das contribuições por escrito é aberto a todos e vai até as 18 horas (horário de Brasília) do dia 14 de junho de 2024.

Informações e esclarecimentos adicionais poderão ser obtidos pelo e-mail rp010_2024@antt.gov.br

Para assistir à transmissão ao vivo da Reunião Participativa nº 10/2024, clique aqui.

Para obter mais informações sobre o procedimento de Reunião Participativa, assista ao vídeo. Para entender como enviar suas contribuições, consulte o tutorial do Sistema ParticipANTT.