Flat Preloader Icon
Últimas vagas: Certificação em aviação e MBA em Gestão Estratégica de Marketing têm inscrições até 30 de junho

Últimas vagas: Certificação em aviação e MBA em Gestão Estratégica de Marketing têm inscrições até 30 de junho

Até o dia 30 de junho, é possível garantir uma das últimas vagas para a certificação internacional em Aviation Management e no MBA em Gestão Estratégica de Marketing com Foco em Supply Chain e Transporte. Ambos são oferecidos pelo Instituto de Transporte e Logística (ITL) e fazem parte do Programa Avançado de Capacitação do Transporte.

Confira o cronograma de cada curso.

MBA em Gestão Estratégica de Marketing com Foco em Supply Chain e Transporte

O MBA em Gestão Estratégica de Marketing com Foco em Supply Chain e Transporte é uma pós-graduação lato sensu ministrada pela ESPM. Tem como objetivo consolidar conhecimentos de marketing estratégico dentro de uma visão contemporânea de negócios do transporte, com sólidos conhecimentos das ferramentas de marketing e comunicação digital.

  • Inscrições: até 30/06/2024
  • Entrevistas: 24/06/2024 a 12/07/2024
  • Seleção/Aprovação: 15/07/2024 a 19/07/2024
  • 1º módulo do curso: 12/08/2024

Clique aqui e faça sua inscrição no MBA

Certificação em Aviation Management

O curso tem carga horária total de 390 horas e é composto por módulos presenciais e a distância. A capacitação tem duração de, aproximadamente, 14 meses. As aulas são ministradas pela Embry-Riddle Aeronautical University, instituição de referência mundial em aviação e administração aeroespacial.

  • Inscrições: até 30/06/2024
  • Entrevistas: 17/06 a 05/07/2024
  • Seleção/Aprovação: de16 a 17/07/2024
  • Divulgação/Resultado: 19/07/2024
  • Aula magna presencial (Brasília): 07/08/2024
  • 1º módulo do curso (São Paulo): 23 a 27/09/2024

Clique aqui e faça a sua inscrição na certificação.

No Parque de Mobilidade Urbana de 2024, Sistema Transporte protagoniza debates sobre novo PAC e descarbonização do setor

No Parque de Mobilidade Urbana de 2024, Sistema Transporte protagoniza debates sobre novo PAC e descarbonização do setor

Promover uma mobilidade urbana mais sustentável, inclusiva e disruptiva é o objetivo do Parque de Mobilidade Urbana de 2024, que conta com a participação do Sistema Transporte como apoiador e painelista. Realizado em São Paulo nessa quinta (13) e nessa sexta-feira (14), o maior evento da América Latina sobre o tema busca proporcionar debates aprofundados com atores comprometidos com o desenvolvimento da mobilidade no Brasil.

Esse é o caso da CNT (Confederação Nacional do Transporte), que participou de dois painéis. No primeiro, a assessora governamental da entidade, Maria Carolina Noronha, debateu sobre o novo PAC em Mobilidade Urbana, lançado em 2023. Seus investimentos priorizam o transporte público de alta e média capacidades, como BRTs, VLTs, trens urbanos, metrôs e outras infraestruturas, como terminais e ciclofaixas. “Contudo, apesar dos avanços, o Brasil ainda precisa aperfeiçoar dois pontos principais para que os projetos de infraestrutura tenham continuidade: aprimorar a governança – como o próprio TCU (Tribunal de Contas da União) aponta – e garantir maior participação do setor privado”, disse.

Outras questões abordadas por Maria Carolina Noronha se referem à transição ecológica e a ações de sustentabilidade ligadas à atualização e à eletrificação dos veículos. “Embora esses temas sejam o DNA do novo PAC, ainda são inúmeras as políticas públicas de incentivo ao aumento da frota de automóveis, que, segundo um estudo da CNT, está em primeiro lugar na categoria de veículos que mais emitem poluentes no Brasil”, disse. Ela se referiu ao Boletim Ambiental do Despoluir, de 2024.

Maior programa ambiental do transporte, o Despoluir, aliás, permeará o debate a ser promovido na tarde desta sexta-feira (14), no painel “Descarbonização no Setor de Transporte”, mediado pela gerente executiva de Economia, da CNT, Fernanda Schwantes. Aos participantes, ela apresentará as linhas de ação da iniciativa conjunta da CNT e do SEST SENAT, que visa sensibilizar os transportadores sobre a importância de ações de responsabilidade socioambiental em prol de um transporte mais limpo, eficiente e sustentável. No evento, um veículo do Despoluir foi posicionado para ilustrar serviços prestados aos transportadores.

“O setor transportador tem um compromisso importante com a redução das emissões de gases de efeito estufa. Por isso, o Sistema Transporte defende a pluralidade de fontes energéticas, com a oferta de diferentes alternativas, como hidrogênio, biometano e eletromobilidade, a depender do tipo de operação”, explica Fernanda Schwantes. Para finalizar, ela reforça que a Entidade acredita que, quanto maior for o número de fontes, mais competitivo será o mercado pelos ganhos de escala e pela aceleração da transição energética.

Reconhecimento

O Sistema Transporte protagonizou outro momento importante na solenidade do Prêmio Parque da Mobilidade Urbana, que homenageia iniciativas públicas e privadas, e pessoas que promovem a mobilidade urbana sustentável, segura e inclusiva.

Representando a CNT, a assessora Maria Carolina Noronha entregou a honraria ao empresário Fernando César, da Uniq, por unificar plataformas de gestão para a mobilidade urbana, facilitando, assim, a administração de contratos de transporte. A iniciativa vencedora foi o projeto Hubs ITS: CCo 360º.

O SEST SENAT também será homenageado no evento. A entidade receberá do ONSV (Observatório Nacional de Segurança Viária) o Laço Amarelo, condecoração concedida a entidades que atuam para enaltecer a importância de um comportamento seguro no trânsito.

Para ilustrar os esforços envidados nesse sentido, o SEST SENAT apresentou, no Parque da Mobilidade Urbana, uma das vans do Programa de Prevenção de Acidentes, que, com equipes especializadas, rodam o Brasil para conscientizar e alertar os profissionais do setor de transporte sobre os cuidados necessários no trânsito.

Alckmin destaca compromisso do governo com o arcabouço fiscal

Alckmin destaca compromisso do governo com o arcabouço fiscal

Vice-presidente lembra que é preciso reduzir gastos e arrecadar mais

O vice-presidente da República e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, Geraldo Alckmin, disse que o governo está comprometido com o arcabouço fiscal e que, para isso, será necessário reduzir os gastos e melhorar a arrecadação por meio do combate à sonegação. Alckmin deu a declaração dois dias após o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, defender a aceleração da agenda de revisão dos gastos públicos.

O arcabouço fiscal é um conjunto de medidas, regras e parâmetros para a condução da fiscal aprovada em 2023, em substituição à política do teto de gastos que vigorava desde 2016 e congelou as despesas, autorizando apenas a correção inflacionária de um ano para o outro. Essa regra, no entanto, foi descumprida diversas vezes. Com a nova política fiscal adotada no ano passado, o limite de despesas ficou mais flexível e leva em conta a meta de resultado primário.

“É bom lembrar que, em 2020, o déficit primário foi quase 10% do PIB [Produto Interno Bruto]. Nós estamos falando hoje de não ter nem 0,5% de déficit, e a meta é chegar a zero. De um lado, é melhorar a arrecadação combatendo a sonegação. E, de outro, é reduzir gastos. É analisar a eficiência de cada investimento. Fazer mais com menos dinheiro”, afirmou o vice-presidente.

Segundo Alckmin, não há ainda nenhuma definição de data para anúncio de cortes. Ele ressaltou, no entanto, que será preciso efetuar ajustes que tragam resultado mais rápido e também aqueles com efeito de médio e longo prazo.

“Mesmo que eu tenha uma medida que vai se estender por vários anos, você traz a valor presente. Com uma melhor política fiscal, vamos ter juros mais baratos e melhor política monetária. Mas é bom comemorar que o Brasil cresceu 2,9% em 2023. A renda dos trabalhadores cresceu, foi a maior desde o Plano Real, o PIB cresceu, e caiu o risco Brasil, que era 254 e foi 170”, acrescentou.

Reforma Tributária

Alckmin também avaliou que a regulamentação da reforma tributária exigirá do governo diálogo com o Congresso Nacional. Ele considerou, porém, que o mais difícil já foi feito.

“Para aprovar a reforma tributária, eram três quintos. Exigia maioria qualificada porque era uma emenda constitucional. As outras medidas não vão precisar mexer na Constituição. Serão por lei ordinária. Então estamos otimistas. O caminho é o diálogo. Nada é fácil, mas vamos mostrando, argumentando. Em política não se obriga, se convence, se conquista”.

Aprovada no ano passado, a reforma tributária estabeleceu que – a partir de 2033 – o ICMS [Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços] e o IPI [Imposto sobre Produtos Industrializados] serão unificados a outros três tributos (ISS, PIS e Cofins), de forma a simplificar o sistema. Haveria, assim, uma única cobrança, com a arrecadação sendo repartida entre a esfera federal (Contribuição sobre Bens e Serviços, CBS) e as esferas estadual e municipal (Imposto sobre Bens e Serviços, IBS). Algumas regras, no entanto, ainda precisam ser regulamentadas.

“Ela [reforma] tem o benefício de simplificar. Ela desonera totalmente exportação, desonera totalmente investimento. Então estimula a crescer a exportação e o investimento. Os estudos do Ipea [Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada] mostram que, em 15 anos, ela aumenta 12% ao PIB, cresce em 14% os investimentos e em 17% as exportações”, destacou Alckmin. Ele lembrou que a implementação das medidas será gradativa.

As declarações do vice-presidente foram dadas após o encerramento do 17º Congresso do Transporte de Cargas da Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Estado de São Paulo, em Campos do Jordão. Ele também destacou a importância do setor, ressaltando que a circulação de quase três quartos da riqueza brasileira é feita por transportadores de carga.

“O governo do presidente Lula está recuperando as rodovias, já melhorou a qualidade das BRs com investimento recorde, e o PAC [Programa de Aceleração do Crescimento] vai trazer ainda mais investimento. Acabei de chegar da Arábia Saudita e da China. O Brasil deve aumentar bastante as exportações, e vamos precisar bastante do transporte de toda essa riqueza”, concluiu Geraldo Alckmin.

Indústria elege Ativa Logística como a melhor empresa nas categorias de transporte, armazenagem de medicamentos e cadeia fria

Indústria elege Ativa Logística como a melhor empresa nas categorias de transporte, armazenagem de medicamentos e cadeia fria

Mais uma vez, a empresa é vencedora em primeiro lugar em três categorias distintas durante o Prêmio Sindusfarma de Qualidade

Mais uma vez, a Ativa Logística, com 24 unidades distribuídas pelo Brasil, é eleita pela indústria farmacêutica como a melhor empresa do segmento em três categorias distintas: “Operação Logística, Distribuição e Transporte de Medicamentos”, “Armazenagem de Medicamentos” e “Soluções Ativas e/ou Passivas para Cadeia Fria”. Os três troféus foram entregues durante a solenidade do Prêmio Sindusfarma de Qualidade 2024, promovido pelo Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos (Sindusfarma), com a presença de representantes dos principais laboratórios farmacêuticos do país.

Para o presidente Clovis A. Gil, isso comprova que a Ativa Logística, a cada ano, se torna o principal elo entre a indústria e o varejo, quando o assunto é transporte, armazenagem e distribuição de medicamentos. “As operações da Ativa Logística seguem os mais altos padrões de qualidade, segurança e exigências das indústrias do segmento”.

O presidente ressalta que uma prova disso é a dedicação diária da companhia em manter os índices de qualidade acima dos exigidos pelo mercado e por órgãos fiscalizadores. “Todas as nossas unidades possuem farmacêuticos capacitados, que acompanham diariamente as legislações do setor e as boas práticas de armazenagem e transporte de medicamentos que abrange todo o Brasil”.

Clovis enfatiza a necessidade de assegurar a qualidade dos medicamentos por meio do controle adequado durante a armazenagem e o transporte. “Para isso, há vários anos, realizamos investimentos constantes em ampliação e inaugurações de unidades; certificações de qualidade; climatização de armazéns; automação de movimentação e conferência de produtos; evolução tecnológica de nossa frota, entre muitos outros investimentos”, conclui o presidente.

Linha do Tempo – Ativa Logística no Prêmio Sindusfarma de Qualidade

  • 2023 – Ativa Logística é vencedora em duas categorias distintas do Prêmio Sindusfarma: “Operação Logística, Distribuição e Transporte de Medicamentos” e “Armazenagem de Medicamentos”, e fica em 2º lugar na categoria “Soluções Ativas e/ou Passivas para Cadeia Fria”.
  • 2022 – De forma inédita, a empresa obteve o 1º lugar em três categorias do Prêmio Sindusfarma: “Armazenagem e Distribuição de Medicamentos”, “Transporte de Medicamentos” e “Soluções Ativas e/ou Passivas para Cadeia Fria”.
  • 2021 – Ativa Logística foi reconhecida pelo Prêmio Sindusfarma de Qualidade 2021 nas categorias “Armazenagem e Distribuição de Medicamentos” e “Transporte de Medicamentos”.
  • 2018, 2017 e 2016 – Vencedora na categoria “Transporte de Medicamentos”.
  • 2020 – A empresa foi classificada por 12 anos consecutivos (2009-2020), pela indústria farmacêutica, como uma das melhores companhias para o transporte, armazenagem e distribuição de medicamentos.
NTC&Logística participa do 17º Congresso Paulista do TRC e é representada pelo vice-presidente Antonio Luiz Leite

NTC&Logística participa do 17º Congresso Paulista do TRC e é representada pelo vice-presidente Antonio Luiz Leite

O vice-presidente da NTC&Logística, Antonio Luiz Leite, representando o presidente da entidade, Eduardo Rebuzzi, participou do 17º Congresso Paulista do Transporte de Cargas, realizado pela Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Estado de São Paulo – FETCESP durante os dias 13, 14 e 15 de junho, no Grande Hotel Campos do Jordão. O evento reuniu cerca de 250 pessoas, incluindo lideranças, empresários e executivos do TRC de várias regiões do Estado de São Paulo e do país.

Em seu discurso, Antonio Luiz Leite ressaltou: “A NTC&Logística se sente honrada em fazer parte de mais uma edição do Congresso Paulista do TRC e parabeniza a FETCESP pela condução do evento – que trouxe muitas informações relevantes para os transportadores e contou com destacada participação de jovens empresários nos debates – e pelos seus 35 anos de trabalho”. O vice-presidente também salientou a presença do presidente da República em exercício, Geraldo Alckmin, que registrou perspectivas futuras animadoras para as áreas econômica e de infraestrutura: “Estamos comprometidos em fazer com que o setor avance cada vez mais”.

O presidente da FETCESP, Carlos Panzan, reiterou que o Congresso é um ambiente privilegiado para debates, troca de experiências e aquisição de conhecimento. “O Congresso não é apenas uma ocasião para discutirmos os desafios que enfrentamos diariamente, mas também uma oportunidade para vislumbrarmos o futuro e as inovações que podem transformar nosso setor. Gostaria de agradecer e destacar o empenho de todos os envolvidos na organização”, acrescentou.

No evento, foram realizados painéis e palestras sobre ESG, abordando temas como: Oportunidades, Desafios e Riscos – O Papel da Liderança; Tecnologia para Potencializar Negócios na sua Transportadora; Tecnologia e Cyber Segurança – Inteligência Artificial e Economia.

Na solenidade de entrega da Medalha de Mérito do Transporte Rodoviário de Cargas Paulista “Adalberto Panzan”, foram agraciados: Aline de Cássia Lopes Monteiro, da FETCESP; André Luis Neiva, presidente do Sindicato do Litoral Paulista (Sindisan); Baleia Rossi, deputado federal, e Hélio Rosolen, presidente da West Cargo Transportes.

Participaram do evento os ex-presidentes da NTC&Logística Flávio Benatti e Urubatan Helou; o diretor financeiro, José Maria Gomes; a assessora executiva da presidência, Elisete Balarini, e representantes de entidades sindicais de todo o país.

O 17º Congresso Paulista do TRC, uma realização da FETCESP, contou com o apoio institucional da NTC&Logística e demais entidades representativas do setor.